Por Rodrigo Tinoco

Organizações Inspiradas pela Fé (OIFs)1 enfrentam grandes desafios. Não importa seu tamanho ou local de atuação, os desafios são grandes e constantes. Como lidar com a necessidade de mobilização das igrejas locais? Com a obrigação de tomar as melhores decisões no momento de investir na expansão do Reino? Com a inconstância dos diversos fenômenos que afetam nossas ações missionárias? Com a tarefa de transmitir aos mantenedores as possibilidades de utilizar informações especificas, localizadas e atualizadas sobre os desafios do campo? Com o crescente imperativo de habilitar as equipes para que estas tenham seus esforços potencializados e, com isso, deem respostas cada vez mais diretas? E, por fim, mas não menos importante, como fomentar a colaboração entre agentes do Reino?

Todas essas questões e, muito outras, podem ser, ao menos em parte, respondidas por uma ferramenta conhecida atualmente como Pensamento Geográfico, a qual incorpora espaço e tempo no processo de tomada de decisão. Uma das chaves para a compreensão que necessitamos do mundo, a fim de avançar com o trabalho missionário eficaz, é a Inteligência Geográfica Missional (IGM).

Inteligência Geográfica é criar, visualizar, entender, analisar, compartilhar dados, de maneira a revelar relações e padrões para que você tome melhores decisões.

Imagine reunir objetos da Tecnologia da Informação (TI), como hardware, software, dados dos mais diversos tipos e conhecimento para explorar e refletir as manifestações do Reino de Deus. Imagine coletar dados em tempo real na floresta Amazônica e integrá-los às informações para melhoria de sua estratégia de plantar igrejas indígenas entre quaisquer grupos minoritários. Imagine mapear a tradução da Bíblia, de forma bem mais rápida e precisa, para rastrear e medir a extensão dos nossos reais esforços e o que ainda é preciso ser feito. Imagine dar mais transparência e agilidade aos investimentos feitos em projetos cristãos. Imagine ainda o impacto que a integração eficaz das informações de vários parceiros e organizações pode causar na propagação das Boas Novas.

Sonhamos com possibilidade de visualizar a presença e a ação do Movimento Missionário Cristão no Brasil de forma integrada. Podemos ter planos estratégicos mais claros; mobilizar com informações mais atuais; relacionar as diferentes línguas e grupos linguísticos (ISO 639-3 Code or ROL) com os diferentes povos minoritários do Brasil (PEID); compreender a atuação dos consultores linguísticos, como também o status (nível) do engajamento linguístico (EGIDS) e do uso das Escrituras Sagradas; adicionar o desenvolvimento e a quantidade de recursos em cada línguas do coração (materiais desenvolvidos na língua minoritária); monitorar os projetos em suas diferentes fases (necessidades e progresso dos projetos) e mais… Para tanto, precisamos de você! Entre em contato conosco…

  1. Organizações Inspiradas pela Fé (FIOs) Em nosso contexto específico, FIOs indica todo tipo de organização que tenha seu surgimento e propósito ligados a expansão do Reino de Deus, seja por palavras ou ações, como ONGs, projetos sociais, agências missionárias, seminários, igrejas, empresas missionais, etc.